DOR ONCOLÓGICA: AS DORES CAUSADAS PELO CÂNCER

O câncer é uma doença assustadora, que aflige os pacientes não apenas com seus sintomas, mas também com medos e incertezas a respeito do tratamento. Entretanto, a medicina continua evoluindo para curar a doença e trazer mais qualidade de vida às pessoas. Um dos piores sintomas do câncer, a dor pode ser controlada enquanto ele é tratado, e a medicina intervencionista é uma importante aliada neste processo, principalmente quando indicada precocemente.

Causas da dor

As dores provocadas pelo câncer são consequências, principalmente, da ação direta do tumor, que pressiona ossos, nervos e órgãos do paciente. Mas o incômodo também pode ser causado pelas ações de diagnóstico e tratamento (biópsias, quimioterapia e radioterapia) ou ainda por fatores paralelos à ação do câncer. Há ainda a existência de fatores emocionais, como depressão e ansiedade, que agem sobre os pacientes, tornando-os ainda mais sensíveis à percepção da dor.

Tipos de dor

Os pacientes com câncer podem se queixar de diferentes dores, com diferentes intensidades. Por isso, é importante conhecer o histórico de cada indivíduo no tratamento da doença, identificando o local da dor e suas características. A dor pode aparecer de forma aguda ou se tornar crônica (quando dura mais de três meses) e ter origem visceral (ao acometer os órgãos internos), somática (dos nos músculos, ossos e articulações) ou neuropática (dor por lesão nos nervos). Descrever o máximo de detalhes possíveis sobre a dor ao médico irá ajudar o profissional a encontrar a melhor alternativa de tratamento.

TRATAMENTOS

Quando os medicamentos prescritos para o tratamento da dor não se comprovam eficazes ou os efeitos colaterais são tão incômodos quanto a dor, os procedimentos minimamente invasivos surgem como uma importante ferramenta. Estudos científicos comprovam a eficácia deste tipo de intervenção, que deve ser discutida com o médico oncologista. Entre os benefícios da utilização destes procedimentos estão o adequado controle da dor, a redução do uso de analgésicos e, consequentemente, dos efeitos adversos e o aumento da qualidade de vida do paciente com câncer. O médico da dor se torna um importante aliado na formação de uma equipe multidisciplinar para ajudar o paciente com câncer.

 A medicina da dor e a dor oncológica

(Principais procedimentos realizados -  Bloqueios de nervo, Simpatectomia percutânea, Ablação por radiofrequência, cimentoplastia )