DOR NO QUADRIL

A articulação do quadril é a maior do corpo humano e uma das mais importantes, fazendo a ligação das pernas com o tronco. Assim como o ombro, é uma das articulações de maior flexibilidade, permitindo que as pessoas executem movimentos cotidianos, como caminhar, correr e pular.

 

O quadril apresenta uma estrutura complexa para desempenhar o seu papel de suportar o peso do corpo e os movimentos repetitivos. Mesmo que tenha uma grande resistência à ação do tempo, as estruturas do quadril são suscetíveis ao desgaste natural das cartilagens, músculos, tendões e articulações.

 

Como a Dor se Manifesta no Quadril

 

A dor no quadril pode aparecer tanto no estado de repouso das pessoas, como na realização de atividades cotidianos ou em atividades físicas. A dor é frequentemente localizada na parte externa do quadril, virilha e nádegas. A dor pode ser referida para a região lombar ou para a coxa. Geralmente é descrita pelos pacientes como uma dor muscular, que limita a execução de movimentos, prejudicando ações como a flexão, a rotação e a abdução.

 

Como a dor pode ter diferentes origens e se manifestar de diferentes formas, é importante procurar ajuda médica quando o incômodo é persistente e não passa em poucos dias. Identificar a origem da dor e iniciar o tratamento precocemente garante maior eficácia na busca pela melhora da qualidade de vida dos pacientes.

 

Principais Causas da Dor:

 

Tendinite

 

A dor no quadril provocada pela tendinite pode estar associada à prática de atividades físicas ou mesmo por uma sobrecarga em atividades diárias. A dor pode aumentar de intensidade durante e após a execução dos movimentos. A tendinite dos glúteos é uma das mais frequentes e geralmente se manifesta como dor na face externa do quadril.

 

Bursite

 

Bursite é a inflamação de pequenas bolsas formadas por tecido semelhante ao das articulações. Essas ficam junto às articulações e tendões, servindo para reduzir o impacto e facilitar a mobilidade entre as estruturas.Uma utilização excessiva dessas estruturas pode levar a sua inflamação. As bursites mais frequentes do quadril são a bursite peritrocantérica, que fica na região lateral do quadril, junto aos tendões glúteos, e a bursite do psoas, que fica profundamente ao tendão deste músculo. A dor é descrita como profunda na região do quadril, que pode irradiar para a parte lateral da coxa, podendo piorar com a movimentação. Utilizo frequentemente infiltrações guiadas por ultrassonografia para tratar essas condições, porque consigo levar a medicação com precisão no interior dessas bolsas e favorecer a uma recuperação mais rápida.

 

Artrite

 

A artrite é a inflamação da própria articulação, pode ser causa pelo uso excessivo, sobrecarga, infecções e doenças reumatológicas. A dor ao redor do quadril pode acontecer mesmo em repouso e piorar com o movimento. É muito importante fazer um diagnóstico correto para que o tratamento seja efetivo. Os processos infecciosos se não tratados corretamente podem piorar e causar grandes danos a articulação. As doenças reumatológicas tem tratamento específico e também podem ser progressivas e muito deletérias. Além da história clínica e exame físico os exames de imagem nos auxiliam muito no diagnóstico. O tratamento pode ser feito de forma conservadora com o uso de medicações orais. Em muitos casos a infiltração de substâncias anti-inflamatórias no interior da articulação pode melhorar ainda mais rápido  o processo.

 

Artrose

 

O desgaste da articulação do quadril pode ser uma importante causa de dor. A perda progressiva da cartilagem que recobre as superfícies ósseas dessa articulação pode ocorrer de forma lenta e progressiva, causando dor e limitação das atividades diárias. Além da fisioterapia e medicações, a injeção guiada por ultrassonografia pode ser muito útil. Um dos procedimentos que mais utilizo nessas condições é a viscossuplementação, que é a  injeção de ácido hialurônico no interior da articulação, o que melhor muito a dor e a mobilidade.

 

Síndrome do Piriforme

 

Esta síndrome é caracterizada pela compressão do nervo ciático pelo músculo piriforme. Essa condição pode ser causada por hábito de sentar de forma inadequada, permanecer muito tempo sentado, exercícios para região glútea em excesso ou por uma variação anatômica do nervo. A dor pode irradiar desde a região glútea até os pés. É importante afastar alterações na coluna vertebral, como hérnias de disco, que causam sintomas semelhantes. O tratamento com medicações analgésicas, relaxante muscular e medidas físicas, associado a fisioterapia para reestabelecer o equilíbrio muscular, resolve a maioria dos casos. Para os casos refratários ou que tem necessidade de uma recuperação mais rápida, realizo infiltração guiada pelo ultrassom. A injeção de antiinflamatórios junto ao nervo ciático e de anestésicos no músculo psoas ajuda muito na recuperação dos pacientes. A utilização de toxina botulínica também é bastante efetiva. 

 

Dores Miofasciais

 

Uma das causas mais frequentes de dores na região lombar e quadris é a dor miofascial. A presença de contraturas nos músculos dessa região leva a dores crônicas e perda de força. Essa condição pode ser estabelecida por sobrecarga da musculatura, movimentos repetidos, desequilíbrio muscular, sendo favorecida por tensão, estresse e sedentarismo. É importante caracterizar a presença dos pontos gatilho, que podem causar dor local profunda ou referida durante sua compressão. Alterações autonômicas como mudança na textura e temperatura da pele no local podem estar presentes. O tratamento se faz com medicações analgésicas e relaxantes musculares, terapias físicas como calor local ou ondas de choque, fisioterapia, correção de fatores desencadeantes e agulhamento. O agulhamento a seco é a colocação de agulha, geralmente de acupuntura, nos locais de pontos gatilho e deve ser realizada por um médico. As agulhas desativam as contraturas e relaxam o músculo. Podem também ser realizadas infiltrações com anestésico local no interior dos músculos. Na região do quadril é comum o aparecimento desses pontos dolorosos no piriforme e músculos glúteos.