DOR LOMBAR

A dor lombar (lombalgia) é um incômodo que acomete pessoas de todas as faixas de idade, sendo que estudos apontam que entre 70 e 85% dos adultos irão senti-la em algum momento da vida. É listada ainda como uma das maiores razões para faltas no trabalho, sendo considerada um problema de saúde pública em diversas partes do mundo. Ela é capaz de reduzir a qualidade de vida das pessoas e ainda causar um relevante impacto socioeconômico.

 

Principais Causas

 

É importante excluir inicialmente causas de dor lombar eu podem necessitar tratamento cirúrgico ou medicamentoso específico, por exemplo nos casos de infecções, câncer e doenças reumáticas. Faz-se necessário também excluir a presença de alterações em outros orgão que possam estar causando a dor lombar, como cálculos renais, endometriose, aneurismas na aorta, dentre outros.

 

Dores Miofasciais

Na maioria dos casos há um componente muscular associado. A fraqueza ou desequilíbrio da musculatura paravertebral pode favorecer o aparecimento de focos de contratura e causar dores miofasciais. Nesses casos, junto com as medicações analgésicas e relaxantes musculares, o tratamento com medidas físicas como compressas, massagem e agulhamentos guiados por imagem são os mais efetivos.

 

Dores Articulares

 

Para cada vértebra existem duas articulações na margem posterior da coluna. É muito frequente que a sobrecarga dessas estruturas levem a uma degeneração e inflamação articular, o que é fonte de dor local. Nesses casos podemos além dos exames de imagem, necessitar de fazer infiltração de anestésicos nas articulações para saber qual a articulação está comprometida. Sabendo a exata articulação que está causando a dor, fazemos então o tratamento intra-articular ou o desligamento dos nervos responsáveis pela sua sensibilidade com a utilização da radiofrequência.

 

Dores Discogênicas

 

As dores podem ser causadas pela degeneração dos discos intervertebrais. Os discos são estruturas fibrosas que servem para absorção de impacto na coluna. A degeneração provoca sua desidratação, redução de altura e fissuras. Os tratamentos para as dores com características discogênicas são realizados frequentemente com a administração de anti-inflamatório e anestésico no canal vertebral. Outros procedimentos mais específicos como injeções intra-discais ou radiofrequência podem ser utilizados.


 

Hérnias de Disco

As hérnias de discos também são chamadas de protrusão ou extrusão discal. A partir de uma fragilidade na periferia do disco intervertebral, o conteúdo mais gelatinoso no interior do disco, se insinua na sua periferia e às vezes até se solta do restante do disco. Essa situação gera um processo inflamatório que por si já é causa de dor. Soma-se ao processo a possibilidade de compressão das estruturas adjacentes, como a medula ou raízes nervosas. O tratamentos pode ser feito com a administração de anti-inflamatório e anestésico no canal vertebral ou diretamente no nível da hérnia pelo forame neural. Tratamentos com cateter, visando a retirada de fibrose e do processo inflamatório adjacente podem ser realizados. Algumas vezes há a necessidade de cirurgia para retirada dos fragmentos herniados.

 

Dor Radicular

 

A compressão das raízes nervosas pelas hérnias de disco ou pelo estreitamento do local de sua saída da coluna (forames) por artrose, são as causas mais comuns de dor radicular, ou seja, dor da raíz nervosa. Essas dores são irradiadas a partir da coluna para a periferia, seja para os braços ou pernas, respeitando o trajeto de inervação daquela raíz. A dor tem características neuropáticas, com sensação de choque, fisgadas e pontadas, assim como dormência e formigamento. Além do uso de medicações específicas e fisioterapia, a realização de infiltrações de anti-inflamatórios junto a esses nervos podem auxiliar muito na recuperação.