Bloqueio Radicular ou Transforaminal Lombar

A dor radicular lombar é mais conhecida como ciática, sendo caracterizada por dor com irradiação para um ou mais demátomos lombares, podendo estar acompanhada ou não de sintomas neurológicos como dormência, formigamento ou perda de força.

           

Cerca de 25% das dores lombares podem ser caracterizadas como radicular. É provavelmente a causa mais comum de dor neuropática.

           

Os fatores de risco mais importantes são obesidade, tabagismo, sexo masculino, história de lombalgia prévia, ansiedade, depressão e trabalhos onde é preciso ficar longos períodos de pé, carregar objetos pesados ou ser exposto a vibração intensa.

           

Em 60% dos pacientes a dor cessará espontaneamente, porém 30% permanecerão com dor por mais de 3 meses.

           

Nos pacientes abaixo de 50 anos as hérnias de disco são a principal causa e nos com mais de 50 anos as alterações degenerativas predominam.

           

O bloqueio radicular ou bloqueio transforaminal lombar pode ser realizado para o diagnóstico e tratamento. O procedimento geralmente é realizado em ambiente hospitalar, porém não necessitando de internação. Pode ser feito com anestesia local ou leve sedação. Dependendo da quantidade de níveis alvos o procedimento pode durar entre 40 minuto à 2 horas. O paciente normalmente é liberado após 2 horas de observação.

           

Para o bloqueio transforaminal lombar utilizamos uma espécie de radiografia para guiar a agulha, chamamos o equipamento de fluoroscopia, pois ele permite imagens em tempo real. Guiamos então a agulha até o forame neural, que é o espaço por onde a raiz nervosa emerge da coluna e dirige-se para a periferia. Injetamos um pouco de contraste para confirmar se estamos no local correto e depois prosseguimos com a injeção de solução com anestésico local e anti-inflamatório. O objetivo é saber se aquela raíz nervosa era mesmo a responsável pela dor, assim como tratar o processo inflamatório adjacente para favorecer a recuperação do paciente.